A evolução da Tecnologia na Copa do Mundo

A introdução da Tecnologia na Copa do Mundo e no futebol, em geral, é assunto recente. Existe certa resistência do ser humano em implementar recursos tecnológicos que podem ajudar em nossos sentidos limitados, como visão, tato e até o próprio raciocínio e poder de decisão.

E essa é uma das principais questões colocadas para debate: até que ponto os recursos tecnológicos tiram a autonomia de decisão dos técnicos, árbitros e bandeirinhas? Ou automatizam o esporte?

Enfim, como em todas as áreas do conhecimento humano, a tecnologia vem só para ajudar e chegou a hora dela participar dos grandes torneios e Copa do Mundo.

Não é só na hora do jogo que a tecnologia entra em campo

Não podemos negar que o futebol é um dos mais populares (ou o mais popular) esporte do mundo. Graças a essa enorme paixão, que move jogadores, torcedores e equipe técnica, muita atenção é dada ao desenvolvimento, inclusive tecnológico, desse esporte.

Se antigamente o futebol contava com erros grosseiros dos árbitros e bandeirinhas, bolas extremamente pesadas, chuteiras e uniformes que mais atrapalhavam os jogadores do que ajudavam, hoje em dia a coisa é bem diferente! Graças à Tecnologia na Copa do Mundo ou fora dela, equipamentos e roupas foram otimizados e os erros minimizados, graças a estudos, fibras mais leves, telas de análise da imagem.

Tecnologia na Copa do Mundo: quais as mais utilizadas.

É claro que quando falamos de tecnologia na Copa do Mundo ou nos grandes campeonatos, a primeira coisa que vem à nossa mente é o VAR: Video Assistant Referee ou, em português, Árbitro Assistente de Vídeo.

Ele foi utilizado pela primeira vez na Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Apesar de bastante polêmico no início, o VAR se mostrou muito eficiente em lances polêmicos e que necessitam de uma análise mais detalhada, que o olho humano não pode alcançar.

O VAR nada mais é que um monitor onde o árbitro assiste algumas imagens gravadas de diversos ângulos do campo para tirar dúvidas sobre como preceder em determinada jogada.

A LGT ou Tecnologia da Linha de Gol ajuda naqueles momentos em que não é possível ver a olho nu se a bola cruzou realmente a linha do gol. Essa tecnologia funciona com sistema de câmeras, além de um chip na bola que envia um alerta ao relógio do árbitro quando a bola passa da linha do gol. Bacana, né?

Como dissemos anteriormente, não é só no campo que a tecnologia está presente, ela também está nos materiais e equipamentos e exerce um grande papel nessa área. Você sabia que, quando o futebol começou a ser praticado profissionalmente, a chuteira era um sapato grosseiro com ponta de metal e pregos? Pois é! Hoje em dia, as chuteiras são altamente tecnológicas e praticamente se ajustam aos pés do atleta.

Assim como o uniforme, elaborado com tecidos desenvolvidos em laboratório, que auxiliam tanto na transpiração, como na regulagem da temperatura corporal (importante em lugares frios).

E não podemos esquecer da rainha do jogo: a bola. Atualmente, são feitas com material resistente aos chutes e pancadas, evitando que se deformem, além de contar com um chip, que registra informações e dados importantes sobre as partidas.

Por último, mas não menos importante, principalmente para quem é fã do esporte, a transmissão dos jogos também foi beneficiada com a evolução da tecnologia na Copa do Mundo. TVs e câmeras cada vez mais modernas e de alta resolução ajudam, e muito, os espectadores a entenderem o que está acontecendo em campo.

Um recurso bastante utilizado pelas transmissoras de TV, por exemplo, é o tira-teima, aquela linha que literalmente ‘desenha’ pra quem está do outro lado da tela o que está acontecendo em campo.

E não vamos esquecer dos streamings, que ampliaram muito o acesso do torcedor ao futebol de qualidade.

O que esperar da tecnologia na Copa do Mundo Qatar 2022

Se tem um país onde o tema da tecnologia na Copa do Mundo é pertinente, esse país é o Qatar! Todo mundo sabe que o Qatar é considerado um dos países mais ricos do mundo, apresentando um PIB de 175,8 bilhões de dólares. Sua arquitetura é cuidadosamente elaborada pensando em conforto, praticidade e em proporcionar uma experiência inesquecível para quem visita o país. E não seria diferente na Copa do Mundo sediada lá.

Com certeza, o país apresentará inovações tecnológicas nunca vistas, tanto no campo, como para a equipe e, claro, para os fãs do futebol e do luxo. Mas o Qatar também está focado na Tecnologia na Copa do Mundo, visando realizar um evento ambientalmente sustentável e pensando nos estádios e estruturas que ficarão para o país, após o fim dos torneios.

Para começar a citar as novidades em si, a FIFA já anunciou no último dia 01/07 que irá utilizar a tecnologia semiautomática de impedimento na Copa do Mundo do Qatar. Este recurso já foi utilizado com sucesso no Mundial de Clubes e na Copa das Nações Árabes.

Serão 12 câmeras distribuídas pelos estádios, que têm a capacidade de acompanhar a trajetória da bola e até 29 pontos no corpo de cada jogador, identificando a posição exata deles em campo. Assim, um alerta de impedimento será imediatamente enviado à sala de VAR, onde a equipe analisará com maior precisão o lance.

Além disso, a bola oficial da Copa do Mundo do Qatar, a Al Rihla contará com um sensor que consegue identificar sua própria posição no campo 500 vezes por segundo. É uma Tecnologia na Copa do Mundo e tanto, não?

Vocês já podem imaginar como serão as estruturas dos estádios e hotéis nesta Copa… altamente tecnológicas, modernas e luxuosas, claro! Os estádios contarão com sistemas de refrigeração inovadores (como uma nuvem artificial que diminui a incidência dos raios solares), serão altamente sustentáveis, reduzindo em quase 45% o consumo de energia e em 44% o de água, altas capacidades de acomodação dentro do próprio estádio, espaços exclusivos para assistir aos jogos e, após o final da Copa, serão transformados em amplos centros sociais, com escolas, hospitais, empresas e cafés.

Para os hotéis, o céu é o limite. O Qatar está preparando 16 hotéis flutuantes com 1.616 quartos, aldeias de fãs no estilo glamping para mais de 15.000 visitantes e cruzeiros ancorados com 20.000 cabines no total.

Mas claro que a Tecnologia na Copa do Mundo do Qatar não para por aí: a cidade estará totalmente inteligente. O Qatar Mobility Innovations Centre (QMIC) criou um aplicativo que utiliza informações em tempo real de diversos sensores espalhados pela cidade, que permitirão ao visitante planejar sua melhor rota para se deslocar.

Tecnologia na Copa do Mundo: polêmica ou benéfica?

Diante do avanço da tecnologia em todas as áreas da vida humana, inclusive no lazer e esportes, fica a pergunta: você acha que a tecnologia na Copa do Mundo é polêmica ou benéfica? Responde pra gente nos comentários!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.