5 dicas para comprar online com segurança

Fim de ano chegando, amigo secreto, festas de confraternização, volta do convívio social… dá uma vontade de presentear as pessoas que amamos, não é verdade? Nessa época do ano já é tradicional o aumento das vendas nas lojas físicas, e na internet não é diferente: as pessoas já se acostumaram a comprar online. Mas, a dúvida que não quer calar: será que é seguro? Muita gente ainda fica desconfiada com entrega, pagamento e prazos. Por isso, separamos aqui algumas dicas de como comprar online com segurança e ficar tranquilo no final de ano.

Cenário otimista

Segundo pesquisa da SA Varejo, divulgada pelo portal Vitrine do Varejo, a expectativa de vendas para o final do ano de 2021 é bastante otimista: 78,5% dos lojistas afirmaram que têm boa perspectiva de vendas para esse ano. Em 2020, esse percentual foi de 59,8%.

Além disso, as vendas online tiveram grande crescimento e a expectativa para esse ano também é grande. Segundo o caderno de Economia do Estadão, somente até junho desse ano, as vendas pela internet cresceram 21,2%, basicamente impulsionadas pela pandemia.

Segundo Rodolpho Tobler, coordenador da pesquisa Sondagem do Comércio, realizada pela Fundação Getúlio Vargas, o aumento das vendas pode ter uma leve desaceleração neste fim de ano devido à reabertura do comércio de lojas físicas. Mas, mesmo assim, a perspectiva é que o crescimento de vendas online em relação às vendas físicas possa fechar o ano com um aumento de 10%.

Dicas para comprar online com segurança

1- LGPD e cookies

Essa é uma dica bem inicial e básica. Desde agosto de 2020 entrou em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que regulamenta o uso de dados dos clientes e usuários coletados por uma empresa. Já reparou que quando você entra em alguns sites, surge um grande aviso de Termo de Consentimento de Uso e Armazenamento de Dados e que o site utiliza Cookies? Pois é, todos os sites deveriam ter esse aviso, segundo a LGPD. Então, se você vai realizar uma compra online, verifique como primeiro passo se o site apresenta esses avisos. Isso já indica que o proprietário da loja online ou plataforma se preocupa com a segurança e adequação do uso de dados do usuário, como o número do cartão de crédito, por exemplo. Parece um passo bem básico, mas é bastante importante! Saiba mais sobre esse assunto em nosso artigo LGPD e cookies: o que significam e preciso me preocupar? E, se você é lojista, essa é uma grande dica para você. Se sua loja online ainda não possui adequação à LGPD é bom providenciar 😉

2 – Verifique os dados da loja

Sabemos que essa dica pode ser um pouco ‘batida’, mas muita gente ainda não a segue. Principalmente quem costuma fazer compras por impulso, ou seja, ir logo clicando naquela promoção que é ‘só hoje’ ou que ‘só dura mais uma hora’. Na hora de comprar: ‘calma, respira!’ O mundo (nem a promoção) vai acabar se você tirar alguns minutos para pesquisar a procedência da loja. Portanto, veja se o site disponibiliza informações como CNPJ e telefone. Se sim, pesquise os dados e veja se a empresa é real. Também é importante pesquisar o histórico e redes sociais. Se estiver comprando por plataformas terceirizadas (como Americanas.com, Amazon, Shopee) veja as avaliações e comentários da empresa final. Se a nota for baixa e as reclamações forem muitas, desconfie. É melhor perder esse precioso tempinho de pesquisa do que perder tempo e dinheiro com um produto não entregue, por exemplo.

3 – Dê preferência por pagar com cartão virtual

Se o seu banco oferece a opção de cartão virtual, preferencialmente compre com ele. Assim, é mais difícil clonarem ou utilizarem os dados para uma outra compra clandestinamente. Muitos bancos oferecem esse recurso (e até outros) de segurança, então porque não usar o que já temos à mão, não é mesmo?

4 – Utilize equipamentos confiáveis para comprar

Sempre dê preferência por utilizar seus próprios equipamentos e dispositivos eletrônicos para efetuar a compra. E mantenha um antivírus ativo. Não é recomendável realizar compras online em celulares emprestados ou lan houses, por exemplo. Não há como saber se dispositivos de terceiros estão seguros quanto a vírus, clonagens e uso dos dados. Outra dica muito simples e bacana é, quando você entrar em um site para fazer compras, verifique se há um cadeado no canto esquerdo da barra de endereço do navegador. Isso quer dizer que o site é certificado e autenticado, portanto, mais seguro.

5 – Desconfie de preços muito baixos e promoções mirabolantes

A tentação é grande quando a gente vê aquele ‘precinho’, letreiros coloridos e promoções inacreditáveis. Mas a dica é essa: nem sempre vale a pena acreditar. Uma das táticas mais utilizadas por golpistas é justamente criar uma atração praticamente irresistível e fazer você comprar por impulso, instantaneamente. É nesses momentos que deixamos de pesquisar a procedência da loja e do produto.

6 – Pesquise, igual faria em uma compra física

A internet trás agilidade e comodidade. Não é necessário ‘ bater perna’ pela cidade toda para achar o melhor preço e condições de compra. Portanto, use isso a seu favor: não compre na primeira loja ou clique na primeira oferta que vir. Pesquise. Vale a pena gastar um pouquinho mais de tempo, mas unir bom preço, condições de pagamento e confiabilidade na empresa.

Apesar dos protocolos de segurança e relações comerciais na internet estarem cada vez mais seguros e serem cada dia mais comuns, ainda existem pessoas que conseguem burlar essas regras e aproveitam o ‘boom’ de compras de fim de ano para aplicar golpes. Portanto, todo cuidado é pouco. Sabemos que a vontade de fazer compras despreocupadamente e cair na diversão é grande, mas a dor de cabeça não vale a pena.

E caso você caia em algum golpe, faça um Boletim de Ocorrência, procure órgãos de defesa do consumidor para saber como proceder corretamente e relate o ocorrido em sites de reclamações e no próprio site onde efetuou a compra. Assim, você ajuda a evitar que mais gente caia na mesma furada.

Tem alguma dica? Conte pra gente nos comentários. 😊